SAL MARINHO X SAL REFINADO X SAL LIGHT: QUAIS AS DIFERENÇAS?

Apesar de muitas pesquisas relacionarem o sal com problemas de Hipertensão Arterial, se usado moderadamente, é muito benéfico para a saúde. É indispensável a todos os tipos da vida animal. O sódio é fundamental para regular as funções básicas do organismo. Sem ele, o nosso organismo não conseguiria transportar oxigênio, nutrientes, transmitir impulsos nervosos, ou mover os músculos e órgãos, inclusive o coração, absorção da glicose. Participa do equilíbrio ácido-base, é essencial para o sistema imunitário, funcionamento do cérebro, etc..

Sal

Um corpo, adulto, tem em média 250 gr de sal. Temos sal em todos os líquidos orgânicos:

  • Lágrimas,
  • Saliva
  • Urina
  • Sangue

Como o perdemos através do suor, urina e lágrimas, há necessidade de o repor. A carência pode manifestar-se por:

  • Dores de cabeça
  • Náuseas
  • Fraqueza

O sal é um nutriente importante em nossa alimentação, pois é responsável pelo equilíbrio do meio aquoso de nosso corpo, facilitando a troca de água entre as células e o meio externo e ajudando na absorção de nutrientes e na eliminação de detritos.

O sódio também é necessário na transmissão de impulsos nervosos e na contração muscular (inclusive nas batidas do coração), porém, deve ser utilizado com cautela, já que em excesso pode levar à hipertensão, cálculo renal, câncer de estômago, osteoporose e doenças cardiovasculares.

Portanto, lembre-se: o consumo de sal deve ser moderado e não deve exceder 5-6g/dia (2400mg sódio).

Conheça alguns tipos de sal encontrados no mercado e as diferenças entre eles:

    • Sal Refinado: O sal refinado (comum), como o próprio nome diz, passa por um processo de refinamento, no qual através da adição de substâncias químicas são branqueados e ficam mais soltinhos. Sua aparência fica melhor, mas não seu aspecto nutritivo, já que, neste processo, muito de seu valor nutricional é perdido. Além disso, muitas das substâncias químicas anteriormente adicionadas, como conservantes, por exemplo, permanecem no produto final.
    • Sal Light: enquanto o sal comum, ou refinado, tem em sua composição 99% de cloreto de sódio (NaCl), o light tem em sua formação 50% de cloreto de sódio (NaCl) e 50% de cloreto de potássio (KCL). Portanto, ele possui um menor tempo de retenção no organismo (menos quantidade de sódio) o que é vantajoso para os hipertensos e paras as pessoas que retêm líquidos. No entanto, se você possui alguma doença renal, o sal light não é recomendado por ter em sua composição o potássio. Outra vantagem é que o sal light possui um sabor mais suave, mas não deixa de salgar os alimentos. Se for optar por substituir o sal refinado pelo sal light, atenção: o sal light deve ser usado nas mesmas quantidades que o sal comum, ou seja, não deve ser usado em excesso por ser “light”.
    • Sal Marinho: é obtido pela evaporação da água do mar, o que o torna mais puro. Este tipo de sal não passa pelo processo de refinamento. Além disso, é mais escuro e seu sabor é menos salgado que o do refinado. Por não ser refinado, o sal marinho mantém os microminerais que geralmente são removidos durante o processo de refinação, inclusive o iodo (o sal contém aproximadamente 84 minerais que são eliminados durante o refino).

 

Composição do Sal Marinho Integral:

O sal marinho integral contém cerca de 84 elementos, entre os quais: iodo de fácil assimilação e nas quantidades necessárias para o organismo, magnésio, cálcio, enxofre, sódio (o teor de sódio deste sal, é menor do que no sal refinado), carbono, zinco, cobalto, fluor, fósforo, ferro, lítio, manganês, mercúrio, molibdénio, potássio, selênio, prata, ouro, urânio, etc..

O organismo ao desidratar-se perde grandes quantidades de água e sais minerais criando um estado de cansaço e esgotamento físico, psíquico, emocional e mental. O mau funcionamento interno do organismo é provocado pelos minerais que se perdem, por isso, devemos repô-los rapidamente. Com o sal refinado, nada chegará às células, excepto, o cloreto de sódio. O sal marinho repõe rapidamente os minerais perdidos.

Benefícios do Sal Marinho:

  • Fornece a energia aos músculos
  • Ajuda a combater as carências provocadas por uma má alimentação
  • Diminui a acidez gástrica
  • Estimula a circulação sanguínea, respiratória, sistema nervoso, rins e vias urinárias
  • Bastam 3 a 4 semanas de consumo para remineralizar o organismo, enriquecimento extraordinário de cálcio, magnésio, fluor, etc.
  • É antialérgico
  • Estimula a cura de feridas, alivia a psoríase
  • Combate o bócio
  • Mantém o equilíbrio da tiróide
  • Regula o excesso de sódio e potássio

 

Composição do Sal Refinado:

O sal refinado/industrializado passa por uma lavagem que retira os nutrientes, como por exemplo:

  • As algas microscópicas que fixam o iodo natural. Por isso tem que se acrescentar o iodo sobre a forma de iodeto de potássio que é, geralmente, usado numa quantidade superior à quantidade normal de iodo do sal marinho, predispondo o organismo a doenças da tiróide: nódulos, tumores, que numa situação extrema pode levar ao aparecimento do cancro da tiróide.
  • Minerais, como por exemplo, magnésio, enxofre, iodo, cálcio, sódio;
  • Entre outros.

Os nutrientes são retirados para posteriormente serem comercializados por valores elevados, conseguindo-se maiores lucros.

Depois de empobrecido, são adicionados aditivos químicos altamente prejudiciais para a saúde, como por exemplo, o alto teor de sódio, sobre a forma de cloreto de sódio, que favorece a Hipertensão, retensão de líquidos. Esses aditivos químicos oxidam rapidamente quando expostos à luz. Por isso, acrescentam um estabilizante que combinado com o iodeto de potássio produz, no sal, uma cor roxa. Para mascarar a cor, adicionam carbonato de sódio para branquear. Este químico existe em quantidades descontroladas porque é impossível uma distribuição uniforme. Para que, o sal, se mantenha solto (evitar que fique tipo pedra ou muito húmido/a liquidificar), adicionam óxido de cálcio (cal de parede), que favorece, também, o aparecimento de pedras nos rins e vesícula biliar.

Fonte: einstein.br  /  medicina-natural.pt

Comentar via Facebook